7 dicas para auxiliar a introdução alimentar do bebê

Uma das fases mais gostosas da infância é a introdução alimentar, super importante para a formação de hábitos alimentares saudáveis na criança.  

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), até os seis meses, só o aleitamento materno é suficiente para suprir todas as necessidades nutricionais e de hidratação da criança. A partir dessa idade, recomenda-se começar a introduzir outros alimentos na dieta, sem descontinuar a amamentação.

A alimentação complementar deve ser introduzida de maneira lenta e gradual. O mesmo que vale para uma dieta saudável em adultos vale para o bebê: priorize alimentos frescos, evite congelados e processados. Nada de frituras, enlatados, salsicha, refrigerantes, café, salgadinhos, balas , sal e açúcar. Para temperar, alho, cebola e hortaliças como salsinha, cebolinha ou manjericão, sem exagero, tudo bem leve. Quando precisar usar óleo, recomendam-se os vegetais, em pequenas quantidades. 

Abaixo, a Magazine Oriente listou algumas dicas para ajudar os papais e mamães nessa fase tão espacial! Confira:

 

 

  • Não bata nem misture os alimentos

É importante permitir que a criança experimente novas texturas e sabores e aprenda a mastigar. O objetivo é que o bebê tenha uma discriminação do sabor dos alimentos e movimentos de mastigação. Então, a recomendação é não bater os alimentos no liquidificador para não deixar a comida muito fina nem misturar os grupos, além de preservar as fibras.  No início, a consistência da comida deve ser pastosa e ir se solidificando gradativamente. Não é necessário o uso de peneira, basta amassar os alimentos com um garfo. Logo após o primeiro mês de introdução, os pais podem deixar pequenos pedaços sólidos na papa para estimular a mastigação. Cada grupo deve ser amassado, mas colocados em porções separadas no prato, sem formar uma mistura única.

 

 

 

 

  • Não desista diante da recusa

Pode haver algum estranhamento por determinados alimentos no começo. Se o bebê não aceitou, não insista, não force e não agrade. A recusa é normal, mas é importante oferecer novamente em outra ocasião. Segundo informações do Ministério da Saúde, é necessário oferecer um alimento de oito a dez vezes, em média, até que a criança o aceite.

  

 

  • Nada de TV!

Proporcionar um ambiente calmo e tranquilo para a alimentação é importante para bebês e adultos! Não é legal tentar prender a atenção deles com telas, tablets, TV, desenhos e coisas do tipo. Isso prejudica o horário da refeição, que deve ser um momento prazeroso e disciplinado. Dica: não se deve castigar a criança por não comer ou oferecer recompensas pelo prato limpo. Quando não há fome, o melhor a fazer é não insistir nem forçar.

 

 

  • Cardápio variado 

O ideal é proporcionar ao bebê uma alimentação variada e rica em nutrientes. Usar sempre representantes dos quatro grupos alimentares principais: hortaliças e frutas, carnes e ovos, cereais e tubérculos e grãos. Ofereça diferentes opções: se hoje a hortaliça foi representada pela cenoura, tente outra amanhã. O mesmo vale para as papas de frutas do mesmo dia: se pela manhã foi abacate, opte por outra à tarde ou à noite. 

 

 

  • Evite ao máximo a apresentação de doces

 O condimento só contribui para uma dieta pobre e tendência a doenças como obesidade, diabetes e cáries. Crianças que não conhecem açúcar não sentem falta do sabor doce nas comidas. Comem tranquilamente iogurtes sem sabor e leite sem achocolatado, por exemplo. Uma dica é, quando for necessário adoçar, utilize as frutas. Banana madura é uma excelente aliada, bem como as frutas secas: tâmaras, ameixa seca, uva passa e damasco.

 

 

  • Cuidado com o mel

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) orienta esperar o primeiro aniversário para introduzir mel por causa do grande risco de intoxicação, causada pela bactéria Clostridium Botulinum. O risco de botulismo também está presente nas crianças e adultos, mas a forma mais grave ocorre quando o sistema imune ainda não está bem desenvolvido, que é o caso dos bebês menores de um ano.

 

 

  • Evite sucos naturais

Dê preferência ao consumo da fruta amassadinha e água para hidratar. Sucos naturais devem ser evitados. Se forem administrados, que sejam dados no copo, nunca na mamadeira. O suco, mesmo que natural e sem adição de açúcar, é processado, por isso perde as fibras da fruta. Então, é sempre preferível oferece-la in natura.

 

 

 

 

Lembrando que o ideal é sempre buscar orientação médica para tirar dúvidas e saber quando dar início à introdução alimentar de forma personalizada para o seu bebê.

Essa é uma fase importante e gostosa da vida dos pequenos que passa muito rápido. Aproveite, tire fotos, faça vídeos e curta muito esses momentos.

Deixe tudo ainda mais alegre com nossos produtos divertidos e de alta qualidade escolhidos exclusivamente para você e seu bebê.

Manda pra gente um clique do seu fofuxo ou fofuxa batendo aquele pratão ou comendo uma frutinha no insta do @loja.MagazineOriente 

Vamos colocar os primeiros nos nossos stories! 

 

 

 Ana Carolina Miotto é jornalista, colunista do blog Magazine Oriente

MTB: 0072384/SP